12 Autoras para ler em 2021

Na imagem uma criança está deitada com livros ao seu redor e um em sua mão

Quantos livros você já leu por indicação? E quantos deles foram escritos por mulheres?

A diversidade na escolha de uma obra é importante para ampliar os horizontes da turma. “Estudei em uma escola que a biblioteca se chamava Clarice Lispector, mas eram poucos os livros escritos por mulheres. Isso me incomodava, porque pensava ‘tenho tantas mulheres ao meu redor, mas não vejo muitas na literatura’”, conta a professora Bruna Paiva de Lucena, que estuda em seu pós-doutorado práticas para estimular a leitura a partir de autoras.

Para Bruna, aumentar a representatividade e levar autoras/histórias que os alunos se identifiquem colabora para promover empatia, uma das Competências Gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Nós temos a responsabilidade de formar leitores na sala de aula, não de forma instrumental, mas de maneira que os estudantes se tornem leitores críticos”, aponta a especialista.

Para ajudar na sua lista de leituras para 2021, hoje apresentamos a seguir 3 indicações de Autoras para a Educação Infantil:

Educação Infantil

Ângela Lago
Nascida em Belo Horizonte (MG), Ângela foi uma escritora e ilustradora que dedicou grande parte de sua carreira à literatura infantil. Suas obras mais conhecidas são: “Sangue de barata”, que conta a história de um crime investigado por animais, e “Cena de rua”, que narra a vida de um menino vendedor de frutas no semáforo.

Elena Favilli e Francesca Cavallo
As escritoras italianas, Elena e Francesca escreveram a série de livros “Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes”. As obras foram traduzidas para mais de 30 idiomas e é recomendada para ser usada com bebês, crianças pequenas e crianças bem pequenas. Os contos são as histórias de personalidades como Frida Kahlo, Elizabeth I e Serena Williams. Os livros fizeram tanto sucesso que foram transformados em um podcast aqui no Brasil e está disponível aqui.

Lygia Bojunga
De Pelotas (RS), Lygia Bojunga tem 87 anos e já recebeu o Prêmio Jabuti e o Prêmio Hans Christian Andersen. Uma das suas principais obras é “A Bolsa Amarela”, publicado em 1981, e é recomendado por especialistas para usá-lo na Educação Infantil e Fundamental Anos Iniciais.

Fundamental Anos Iniciais

Ana Maria Machado
Com mais de 40 anos de carreira e mais de 100 livros publicados, Ana Maria já foi eleita para cadeira número 1 da Academia Brasileira de Letras e foi vencedora duas vezes do Prêmio Jabuti. Suas obras mais reconhecidas são: “Bisa Bia, Bisa Bel” e “História meio ao contrário”

Carolina Maria de Jesus
Empregada doméstica e catadora de lixo, Carolina Maria de Jesus nasceu em 1914 em Sacramento (MG). Mudou-se para São Paulo após a morte da mãe e viveu na favela do Canindé, Zona Norte da capital paulista. Seu livro mais conhecido é “Quarto de Despejo”, feito no formato de diário e que teve colaboração do jornalista Audálio Dantas para publicação. Especialistas indicam o uso da obra com as turmas do Ensino Fundamental 2 e para Fundamental 1 a leitura recomendada é do “Diário de Bitita”.

Cecília Meireles
Nascida no Rio de Janeiro, a jornalista Cecília é uma das escritoras brasileiras mais renomadas. Como professora defendeu a construção de bibliotecas infantis. Sua carreira como autora começou ainda cedo quando, aos 18 anos publicou o livro de poemas “Espectros”. Apresentar as obras de Cecília Meireles para sua turma é levar os grandes clássicos da literatura brasileira.

Assine as notificações para ficar por dentro de tudo o que acontece no CSJ, no decorrer desta semana vamos indicar 3 autoras para cada segmento!

Fundamental Anos Finais

Carol Rossetti
Nascida em Belo Horizonte, Carol é designer, ilustradora e escritora. Seus livros ilustrados tem como foco abordar as questões relacionadas a representatividade feminina. Seus trabalhos tiveram grande repercussão na internet e você pode conferir gratuitamente aqui.

Conceição Evaristo
Primeira da sua família a acessar a universidade, Conceição tem 73 anos e é um dos grandes nomes da literatura brasileira. Especialistas recomendam o uso da obra “Olhos D’Água”, seu livro de contos que lhe concedeu o Prêmio Jabuti, em 2015. A escritora e professora se candidatou em 2018 para a Academia Brasileira de Letras, mas não foi escolhida.

Jarid Arraes
Nascida em Juazeiro do Norte (CE), a escritora e cordelista Jarid é autora do livro “Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis”, que pode ser utilizado para promover um debate sobre a questão racial. Foi responsável por criar o Clube da Escrita Para Mulheres, em outubro de 2015, com o objetivo de empoderar mais mulheres a se tornarem autoras. Jarid também é autora de cordéis infantis como “A menina que não queria ser princesa” e “A bailarina gorda”.